Os baixos de Humberto Gessinger

Humberto Gessinger é uma figura controversa no meio musical, mas não pode ser negado que é referência para uma boa parte de baixista, se não como o melhor baixista que já se ouviu, pelo menos como um primeiro contato com o instrumento.Foi assim comigo: a referência que tenho de timbre de baixo ainda são as linhas de Rickenbacker de A Revolta dos Dândis e este timbre de Rickenbacker é uma das razões pelas quais hoje gosto do instrumento.
Humberto Gessinger - Rickenbackers

Rickenbacker 4003

Falando em Rics, o site oficial do Engenheiros do Hawaii apontam 4 Rickenbackers 4003 usados pelo Gessinger entre 1987 e 2002. Eles podem ser ouvidos no A revolta dos dândis e Ouça o que eu digo não ouça ninguém e em shows mais para o início da carreira.

Como se tratava de um trio onde a guitarra não trabalhava “completamente cheia”, as linhas de baixos aparecem bastante e são super trabalhadas enfatizando a . Abaixo, ao vivo em Filmes de Guerra, Canções de Amor:

Steinberger XQ-4 no GLM

Steinberger XQ4 e XM

Outro instrumento marcante usados por Gessinger são os Steinbergers. No O Papa é pop, Várias variáveis, Gessinger, Licks e Maltz e Minuano eles aparecem. O XQ-4 com a bandeira do Brasil é a capa do GLM (e também, sem pintura personalizada no Minuano).

Créditos para a capa do GLM por Programa Long Play.

Um XM está no, Alívio Imediato (ao vivo), o Papa é pop e Várias Variáveis. Neste último álbum há um versão sem trastes na capa. Abaixo, o clip de O Papa é pop que, embora não pareça com o instrumento, a linha está bem na cara.

Outros baixos

Outros Baixos Humberto Gessinger

Outros Baixos Humberto Gessinger

Estes modelos são, para mim, os mais marcantes. Mas Gessinger também passou por vários outros instrumentos: de semi acústicos como Epihponi Rivoli até o TRB JP de John Patituci. Um Tobias Growler também aparecem em algumas canções como Eu que não amo você. Neste clipe, em particular, também aparecem um Cheruti e um Zeta Upright, ambos sem trastes.

Depois de um longo hiato, permanecendo como guitarrista, Gessinger parece retornar agora aos contrabaixos com um Warwick Fortress Masterman, como pode ser visto aqui. Este baixo também apareceu nas gravações de Tchau Radar e 10000 Destinos.

Obviamente, existem outros, mas estes citados conseguem percorrer muito bem os timbres do Humberto ao longo do tempo.

Comentários
  1. Erico (109eh)
    • Flávio FM

Deixe sua mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *